Keywords: o que são, como e porquê usá-las?

7 min. leitura
As keywords ou palavras-chave são as principais peças da utilização do Search Engine Optimization (SEO) e do Search Engine Advertising (SEA).Se ainda não está familiarizado com os termos, começamos por explicar que o SEO é a otimização para os motores de busca.
keywords

O SEA, por sua vez, é relativo aos anúncios que são apresentados nos mesmos motores de busca. Ou seja, são aquelas palavras que podemos comprar através do Google AdWords para anunciar nas páginas SERP ou páginas de resultados de busca.

As keywords entretanto são muito mais que simples termos de indexação. Elas descrevem um conteúdo, uma mensagem, uma página ou um documento. É através das keywords que podemos fazer uma busca no Google. E é graças ao SEO que encontramos o resultado daquilo que procuramos.

E se pensa que isto é um advento do mundo digital, engana-se. Lembra-se das bibliotecas? Quando fazia pesquisas, mesmo antes da net, já usava palavras-chave.

Assim como as bibliotecárias de antigamente tinham de indexar os livros num sistema de organização que fizesse algum sentido, os motores de busca de hoje também têm esta necessidade. Eles indexam os tópicos e os assuntos através das keywords. É por esta razão que usar palavras-chave em marketing de conteúdo é fundamental.

Como utilizar keywords?

Agora que já sabe que as palavras-chave são aquilo que utilizamos para fazer uma consulta no Google, chegou o momento de aprender como utilizá-las na sua página web. Se possui um blog ou um website online alojado na plataforma WordPress, provavelmente já tem instalado o plugin do Yoast.

Isto é importante pois é através do plugin que vamos indicar ao Google ou a outro motor de busca todas as informações acerca de uma determinada palavra-chave. Estas informações chamam-se metatags ou metadados. E serão lidas pelos crawlers do Google quando a página for indexada.

Claro que podemos fazer isso sem ajuda do Yoast, afinal esta é apenas uma ferramenta opcional. No entanto, essa pode ser uma tarefa bastante mais complicada, já que exigirá mais conhecimentos técnicos de SEO.

Através do Yoast, podemos apenas preencher alguns campos para definir qual a keyword principal do texto, quais as secundárias (apenas disponível na versão paga) e qual a descrição do conteúdo. Isto serve para indicar às pessoas sobre o que é a página web dentro das SERP.

Por exemplo, quando fazemos uma pesquisa, os resultados aparecem de forma padrão: com o título do conteúdo, uma breve descrição e a ligação. Atualmente já é possível aparecer no Google de forma mais elaborada, como nos Snippets. Porém esta é uma função que só aparece para os primeiros lugares e, antes de lá chegar, há um longo caminho a percorrer.

Depois de instalar o Yoast

É preciso planear! As palavras-chave não surgem intuitivamente, pensar que sim é um enorme erro. Existem muitas plataformas para pesquisar keywords. A maioria delas é paga e será preciso assinar um plano mensal ou anual. No entanto, ainda há algumas que permitem fazer um X número de consultas por dia.

Porquê pesquisar keywords? Porque assim é possível ver quais são mais ou menos relevantes. E ainda perceber quais são as palavras-chave semelhantes semanticamente ou Latent Semantic Indexing (LSI) keywords. Além de saber quais as palavras de cauda longa (long-tail keywords).

As pessoas que não estão familiarizadas com a lógica do uso de palavras-chave num texto, poderão deparar-se com uma série de desafios. Primeiro porque é preciso utilizar a keyword um certo número de vezes ao longo do conteúdo, mas também não se pode usar de forma exagerada. Caso contrário, estará a praticar o chamado keyword stuffing.

Por isso é importante ficar atento ao que diz o Yoast, pois ele sinaliza a densidade do termo de pesquisa no texto e informa se está adequada. Ele ainda indica se a palavra está presente no texto alternativo das imagens, nos títulos e na URL.

Se não tiver o Yoast ou trabalha em páginas de plataformas fora do WordPress, poderá verificar a qualidade do conteúdo perante a palavra-chave selecionada no Small SEO Tools.Lá também é possível ver se o texto contém ou não plágio. E se está mesmo otimizado e uma série de outras questões relativas ao método.

Como planear keywords?

O brainstorming é a principal forma de se chegar às palavras-chave que procuramos. Imagine que tem um site de saúde e quer criar conteúdos sobre os perigos dos suplementos. Já tem aí uma boa noção de onde começar.

Uma das melhores formas de seguir adiante é entrar, em modo anónimo, na página do Google local, da sua região. Com isso, poderá ver quais os resultados apresentados para o termo que deseja utilizar.

Isso chama-se análise de concorrência. E há outra vantagem neste método. Pode ver o autopreenchimento do motor de busca, o que já dá uma boa idea das palavras-chave de cauda longa. Digamos que a keyword escolhida seja “perigos dos suplementos”, as caudas longas poderão ser: “perigos dos suplementos alimentares”, “perigos dos suplementos para emagrecer”, entre outras.

Estas palavras devem ser inseridas da forma mais natural possível no seu texto. Aliás, antes de mais, o texto deve sempre ser humanizado. O Google trabalha sim com um algoritmo robotizado, porém, as pessoas por trás das pesquisas são humanas e é para elas que criamos o conteúdo. Então, o texto tem de fazer sentido e tem de ser legível, leve e intrigante.

Ferramentas para busca de keywords

Todos estes fatores devem ser levados em consideração ainda no planeamento das keywords. Por outro lado, também será possível pesquisá-las em plataformas como:

  • Google Keyword Planner:é mais utilizado para SEA, visto que permite saber os valores de cada termo de pesquisa. Contudo, pode ser também utilizado para ver os volumes médios de pesquisa das keywords, bem como outros dados relevantes em termos de SEO.
  • Answer the public: na versão gratuita, é possível pesquisar termos em português e outros idiomas para ver quais as perguntas mais realizadas relacionadas a estes. A versão paga permite separar o português de Portugal do Brasil, otimizando ainda mais a busca localizada.
  • Ahrefs: é de longe a ferramenta paga mais completa da área. Possui análise de página web, explorador de palavras-chave em vários idiomas, audição e acompanhamento do trabalho que está a ser feito. Apesar da versão mais barata custar no mínimo cem euros, a qualidade compensa o valor. Conta ainda com uma rede de suporte 24 horas.
  • SEMrush: é atualmente o principal concorrente do Ahrefs. É também a ferramenta de escolha de grandes empresas, como o Ebay e o Booking. Além da auditoria técnica de SEO, o SEMrush permite também a coleta de núcleo semântico e oferece ideias para gerar mais tráfego orgânico. O programa tem ainda uma parte dedicada às medias sociais.

Acompanhamento do trabalho já realizado

Por fim, poderá sempre voltar ao texto que já foi otimizado para determinada palavra-chave e melhorá-lo. É importante fazer isso, pois mostra aos motores de busca que o seu conteúdo está em constante atualização. Ou seja, isso mostra que a sua página web é “fresca”.

Rever textos otimizados também permite fazer um trabalho de agrupamento de keywords, inserindo mais palavras e termos semânticos relevantes para o bom posicionamento do conteúdo. Este tipo de ação ajuda a manter-se nas primeiras posições ou a alcançá-las mais depressa.

Deborah Cattani

Deborah Cattani é jornalista com mestrado em Comunicação e experiência em marketing digital. Atua como redatora e analista de SEO, gere páginas em redes sociais e faz doutoramento em Estudos Culturais. Ama cinema, gatos, leitura e filmes de terror.

50% Complete

Subscribe to the Blog and dont miss any update

You will get no Spam and no BS. Just my very best material.

Receive weekly strategies. Unsubscribe anytime.